quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Tomado: EPU 2007

Esse eu tomei!
Ontem o Luiz Felipe trouxe para tomarmos uma garrafa do EPU 2007, o segundo vinho da vinícola do Almaviva (aliás, pelo que me lembro, no contra-rótulo consta que EPU, em mapuche, significa DOIS).
Ele comprou este vinho no Chile, na Concha y Toro, quando esteve lá este ano - foi nosso correspondente internacional.
E o Luiz chegou com toda pompa para o jantar na casa do Carlão, trouxe até a caixa especial do vinho:
Nós decantamos o vinho para abrir um pouco, já que ainda é jovem, e aproveitamos para já decantar também um borgonha que eu gosto muito, o Givry Champ Nalot, já postado aqui.

O EPU foi tomado logo após acabarmos o Givry - de tão delicado e saboroso esse borgonha acaba rápido mesmo - para acompanhar as Bracciolas que a Giovana preparou juntamente com arroz, feijão e purê de mandioquinha.
Vejam a madame na cozinha, após a primeira fritada das bracciolas:

O vinho: Este EPU, mesmo após 40 minutos de decanter, apresentava aroma bastante forte, com frutas e muita madeira, baunilha. O outro EPU aque tomei (2001 - vide post) era mais para a fruta, com toque tostado, não era tão abaunilhado, não sei se o envelhecimento ameniza essa doçura que o carvalho traz.
Na boca é muito redondo, nota-se facilmente a qualidade, vinho de primeira linha, com final persistente. É por isso que ficamos sempre na dúvida sobre o porquê de tanta madeira em um vinho de tão boa qualidade. Ele continua gostoso, mas fica mais padronizado, talvez para atender o mercado dos EUA.

Em resumo, foi uma noite agradável, uma grande refeição, com ótimos vinhos. Que venham mais!
E parabéns à Giovana, que a cada dia cozinha melhor...
Ainda fizemos um vídeo da decantação do EPU. Vale a visita só pelo lindo decanter do Carlão, uma obra de arte. Vejam no Youtube (dá para ver em qualidade HD): LINK

Tomado: Crémant de Bourgogne François Labet

Esse eu tomei!

Ontem nos reunimos na casa do Carlão para comemorarmos o dia do advogado e o lançamento do saca-rolhas do Esse eu Tomei! Mais uma idéia 'inútil' que tivemos para divulgarmos o blog e presentearmos os amigos. Aproveitamos para fazer um saca-rolhas de lâminas, que não estamos acostumados a usar e que pode ser importante quando a rolha do vinho não está lá muito bem conservada. Ajuda a tirar a rolha sem desmanchá-la.

Presentes Eu, Carlão, Gi, Taci, Chede e Luiz Felipe (que foi nosso correspondente no Chile), começamos os trabalhos com esse espumante francês da região da Borgonha.

O Carlão pagou por volta de 90 reais, ou seja, metade de um preço de um champagne brut básico.

E valeu à pena.

Um espumante com perlage persistente, cremosa na boca, com aromas e sabores de cereais. Lembra muito uma champa, só que um pouco mais leve.

Conclusão: desse eu vou comprar muitas garrafas ainda.

O blog da Empório Mercantil, onde esse espumante é vendido por R$ 86,00, traz boas informações:

• Crémant de Bourgogne François Labet: Espumante de boa alternativa custo-benefício. Qualidade comparada a Champagne e é agradavelmente volumoso, perlage e apresenta sabor persistente e qualidade encantadora, tendo um final muito refrescante. Este Crémant de Bourgogne é elaborado no Domaine Pierre Labet, onde passa pelas mãos do Sr François Labet, um dos grandes conhecedores da região da Bourgogne, onde sua família é detentora de uma grande parcela do Grand Cru Clos-Vougeot e uma das únicas construções históricas, o seu precioso Château La Tour, acho que está explicado à grande fineza deste Espumante.


Finalmente, um clique do blogueiro e anfitrião da noite:


Já ia me esquecendo, depois do Crémant tomamos um champagne legítimo, um Laurent Perrier, sempre magnífico. Deu para sentir a superioridade da champa, mas também deu para ver como o Crémant tem um alto nível de qualidade.

Recomendo !

Carlão, Chede e Luiz Felipe com o Champagne

Lançamento do Saca-Rolhas do Esse eu tomei!

Como a gente está sem o que fazer, inventamos de encomendar uns saca-rolhas com o logo do blog. Ficou bonitinho e funciona:


Confesso que nunca tinha usado um saca-rolhas de lâminas, achei fácil. Confiram:



video

Segue também o link do Youtube (onde o vídeo pode ser visto em qualidade HD): clique AQUI

Tomaram: Cousiño-Macul Rosé 2007 (Cabernet sauvignon)

Esse tomaram.
Mais um do amigo João Moraes, que apenas por um descuido do destino não foi chamado de Vinicius de Moraes... Eis mais um post 'poético' do blog.
João, se você gostou do vinho é o suficiente. Os rosés costumam ser leves e agradáveis. Só não agradam aqueles que gostam de beber apenas vinhos bombas de frutas. Além dos impulsos e das paixões é importante manter a mente aberta para o novo, o diferente.

"Bem, será que e um erro?
Acho que não - pois não temos um compromisso formal em acertar Sempre. Aliás, mesmo que o vinho seja ruim, será um erro?
Quem já passou por esta vida e não viveu...pode ser mais mas sabe menos do que eu...quem nunca curtiu uma paixão...ops versos do poeta e diplomata Vinicius de Moraes. Aliás, este até tomou uns vinhos - mas o que ele gostava mesmo era o cachorro engarrafado, mas esta é uma outra história.
Voltemos a paixão e ao impulso. Será que nossas paixões provocam impulsos?
Independente da resposta o importante foi que experimentei o vinho.
Surpresa agradável porque gostei - apesar de minhas pouquíssimas referências quando se trata de rosé.
Efetivamente, não estamos habituados a estes vinhos. Então, em vez de tentar enganá-los, escrevendo sobre o que pouco conheço, lanço aqui minha provocação, ao impulso do novo, ou será, a eterna paixão?"

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails